NAPE – Núcleo de Apoio em Psicologia Escolar

O que faz um Psicólogo na Escola?

A Psicologia Escolar é a especialidade da psicologia que se ocupa dos processos de ensino e aprendizagem de escolares de todas as idades em contexto escolar.
Dentro desse processo de aprendizagem alguns profissionais, além dos professores, podem auxiliar no processo de formação, como no caso dos psicólogos escolares.

Psicólogo escolar é o profissional que atua junto à educação, auxiliando os alunos em seu processo de aprendizagem e os educadores em sua função de ensinar. O profissional aplica o conhecimento psicológico no campo da saúde mental, aprendizagem e comportamento, para ajudar crianças e jovens a alcançar melhor desempenho acadêmico, social e emocional.

O psicólogo escolar trabalha em parceria com a família, com os professores, coordenadores, diretores e outros profissionais da educação com o objetivo de construir um ambiente de aprendizagem seguro, saudável e acolhedor e que fortaleça as conexões entre casa, escola e comunidade.

O que a psicologia escolar aborda?

A formação dos psicólogos prepara-os para prover uma gama de serviços de diagnóstico, avaliação, intervenção, prevenção e de promoção de saúde com foco especial nos processos de desenvolvimento de crianças, jovens ou adultos no contexto das escolas, mas que também envolve famílias, comunidade e se articula com programas pedagógicos.

Assim, considera-se que a psicologia escolar é uma psicologia da instituição escolar e de todos aqueles que dela participam (educadores, gestores, alunos, pais, etc). A partir disso, o psicólogo pode realizar intervenções que podem variar desde a escuta dos alunos, pais e professores, até a realização de grupos com objetivos diversos, sempre vislumbrando o objetivo final da instituição escolar.

De que forma a psicologia pode auxiliar na formação escolar?

O psicólogo escolar que atua na escola, pode auxiliar professores e equipe de gestores, bem como pais e alunos nas dificuldades encontradas no decorrer do processo de formação escolar. Desta forma, pode utilizar de técnicas como a escuta psicológica, a avaliação da criança, dos pais e também dos métodos de ensino do professor, além da realização de grupos. O psicólogo irá avaliar qual demanda se apresenta para depois pensar em qual a melhor estratégia para intervir. O psicólogo escolar pode, por exemplo, fazer encaminhamentos para outros profissionais caso julgar necessário. Importante ressaltar que este profissional não faz psicoterapia na escola, mas tem o objetivo mais amplo de pensar a escola como uma instituição e auxiliá-la em seu principal objetivo que é ensinar.

Quais as práticas do profissional em Psicologia Escolar?

Os serviços psicológicos em escolas são fornecidos em uma ampla gama de configurações. Os psicólogos escolares devem:

  • Conhecer processos de ensino-aprendizagem eficazes;
  • Conhecer a sala de aula e outros espaços escolares;
  • Compreender a organização e o funcionamento das escolas e instituições educacionais;
  • Consultar educadores e outros profissionais em relação ao desempenho cognitivo, afetivo, social e comportamental dos alunos;
  • Avaliar as necessidades de desenvolvimento e ajudar na construção de ambientes educacionais que atendam a essas diversas necessidades;
  • Coordenar os serviços educacionais, psicológicos e de saúde comportamental, trabalhando na interface desses sistemas;
  • Intervir para melhorar a instituição e desenvolver parcerias efetivas entre pais e educadores e outros cuidadores.

Um papel essencial do psicólogo da escola é sintetizar informações sobre mecanismos e contextos de desenvolvimento e traduzi-lo para adultos responsáveis por promover o crescimento e desenvolvimento saudável de crianças e jovens em uma ampla gama de contextos educacionais, públicos ou familiares.

A atuação do Psicólogo Escolar busca prevenir ou minimizar os seguintes problemas:

  • Problemas educacionais e de desenvolvimento relacionados ao desempenho escolar e ao ajuste escolar;
  • Problemas sociais ou interpessoais relacionados ao aprendizado ou comportamento;
  • Dificuldades e transtornos específicos que afetam o aprendizado, o comportamento ou adaptação à escola;
  • Condições sociais adversas que ameaçam o desenvolvimento saudável na escola e na comunidade, como violência comunitária e escolar, delinquência juvenil, gravidez na adolescência e abuso de substâncias;
  • Problemas do ambiente de ensino, estruturais ou funcionais, que afetam o desempenho dos alunos.

Para isso, os procedimentos utilizados em Psicologia Escolar incluem:

  • Uso de entrevistas, observações e avaliações de desempenho para investigar problemas de aprendizagem e de comportamento;
  • Avaliações diagnósticas para apoiar a elegibilidade e a prestação de serviços educacionais, integrando informações de diagnóstico de outros profissionais para apoiar recomendações para modificações educacionais e serviços comunitários;
  • Programas de prevenção primária para reduzir a incidência de evasão escolar, violência escolar, abuso sexual, gravidez na adolescência e programas para promover o bem-estar das crianças através de acomodações e ferramentas mais adequadas;
  • Programas de prevenção secundária para auxiliar estudantes com problemas leves ou transitórios que podem trazer prejuízo no desempenho escolar, tais como adaptação em situações de adoção, mudança de residência, morte ou divórcio dos pais;
  • Programas de desenvolvimento profissional e de saúde do trabalhador para professores e outros profissionais da escola;
  • Desenvolvimento, avaliação e acompanhamento de planos educacionais individualizados para alunos especiais;
  • Orientação a pais e educadores;
  • Avaliação e propostas de mudanças no ambiente institucional.